Surpresa insperada ( 22º Capítulo) Parte II

Ana havia terminado o curativo de David e ficou sentada frente a frente com ele quando de repente o telemóvel de David toca e ele se precipita a atendê-lo.

 

David – Alô, quem fala?

 

D.Regina – Oi meu filho, sou eu.

 

David – Mãe ? Oi tudo bom com você?

 

D . Regina – Tá tudo bom meu filho e você? Eu estava preocupada ligava para sua casa e você nada, então ai liguei para o Ruben e ele me disse que cê tinha tirado umas mini férias sozinho.

 

David – Pois é mãe, tirei mesmo já tava precisando de dar uma relaxada, me concentrar um pouco só comigo mesmo.

 

D. Regina – Fez muito bem meu filho, me diz quando você volta à Portugal?

 

David – Penso que voltarei amanhã bem cedo, porque Segunda – feira já tenho treino de novo e não quero faltar não.

 

D. Regina – Está bem menino lindo então a gente depois se fala , logo logo a gente tá junto de novo.

 

David – Ok  mamãe, te amo deus te abençoe.

 

D . Regina – Deus te abençoe meu filho, beijão.

 

Ambos desligaram o telemóvel é claro que David não fazia a mínima ideia de que uma pequena mas grande surpresa se aproximava.

 

Ana – Então, como está a Dona Regina?

 

David – Está tudo óptimo, ela queria saber como é que eu estava por isso me ligou.

 

Ana – Devia já estar preocupada por não dizeres nada durante estes dias.

 

David – Ué eu estava distraído com você porque agora meu mundo é você.

 

Ana – Ai é ? pensei que tivesses vindo para aqui para te encontrares de novo contigo mesmo.

 

David – Nem pensar vim prá aqui para estar com a menina mais linda e adorável do mundo.

 

Ana – Me engana que eu gosto seu bobo ( beija David com ternura  logo se apressa a morder-lhe o lábio inferior, passa de seguida a ponta da sua língua pelo lábio inferior de David o que faz com que ele estremeça)

 

 

David – Minha nossa menina você tá me deixando maluco de vez, que beijão vou querer um beijo desses todos os dias das nossas vidas.

 

Ana – Eu não me importo nada de fazer isso, mas acho que devíamos arrumar as nossas malas porque amanhã bem cedo temos o voo para Lisboa .

 

David – Sim é melhor mesmo, eu te ajudo.

 

Os dois puseram-se a arrumar as malas e eme menos de uma hora tudo estava arrumado em seguida dirigiram-se ao restaurante do hotel onde jantaram à luz das velas. Quando a noite estava terminada dirigem-se ao quarto novamente onde ai adormecerem para no dia seguinte serem surpreendidos.

 

Manhã Seguinte

7h00 da manhã ( Avião rumo a Lisboa )

 

David – Eih amor você ficou vermelhona parece um camarão haha.

 

Ana – David fazes o favor de não gozar comigo é que não tem piada nenhuma eu ter apanhado um enorme escaldão. Isto ainda por cima arde que é uma coisa doida.

 

David – Sabe porque é que arde? Porque você é uma brasa.

 

Ana – Oh pá pára de gozar a sério ( faz um pequeno beicinho )

 

David – Tá meu amor me desculpa, agora me diz como vamos fazer no aeroporto?

 

Ana – Então separamo-nos um do outro e só nos encontramos no parque de estacionamento do aeroporto isto tudo para evitar chamadas de atenção por causa dos fotógrafos é melhor fazermos assim.

 

David – Concordo com você é melhor mesmo, quero proteger você do assédio da imprensa porque eles não dão descanso mesmo.

 

Sorriem um para o outro.

 

12 horas de pois ( Aeroporto Francisco Sá Carneiro )

Desembarque

 

Ana – Bem parece que é aqui que nos separamos, não te demores muito meu pequeno anjo querubim.

 

David – Não vou demorar nada não, eu quero estar perto de você de novo. Até já meu amor.

 

As mãos de ambos separam-se e é Ana quem sai primeiro da porta de desembarque deixando David para trás. Ana dirige-se pelo o Aeroporto fora e vê um monte de fotógrafos lá à espera do primeiro famoso que aparecesse tal como Ana e David tinham previsto.

Quando David apareceu os flashes das câmaras dispararam enquanto este se encaminhava para o carro, os seguranças do aeroporto por sorte esbararam a passagem aos fotógrafos pelo que Ana e David puderam entrar para o carro sem serem incomodados ou vistos, logo se apressaram a sair do parque de estacionamento.

 

Ana – Ainda bem que saímos separados senão amanhã seriamos capa nas revistas todas.

 

David – É amor os jornalistas às vezes conseguem ser muito chatos não quero que você passe por isto não, quanto mais eu te proteger melhor.

 

Ana – Eu agradeço-te do fundo do meu coração David o que fazes por mim.

 

David – Não tem de que agradecer só faço isso porque amo muito você. ( Sorri-lhe com aquele sorriso que tirava o ar a Ana)

 

Ana – Meu amor vamos onde agora? Se é que posso saber ( sorri ternamente)

 

David – Vamos até minha casa lá eu mando vir uma pizza e a gente fica um pouquinho juntos porque já sei que depois durante a semana vai ser mais difícil de te ver, quê cê acha?

 

Ana – Sou toda tua hahaha.

 

David estaciona o carro na garagem, ele e Ana dão as mãos e sobem pelo o elevador para se dirigirem ao apartamento de David. David coloca a chave na fechadura e roda as chaves, a porta abre e ele e Ana permanecem de mãos dadas. Entraram no apartamento e sentem um cheirinho de comida a invadir-lhes o nariz então quando se dirigem-se à sala encontram : a Dona Regina, o Senhor Ladislau, O Gustavo e o Ruben esta era a surpresa que a sua mãe fez.

Ana logo que os vê retira a sua mão suavemente da de David pois ele ainda não estava preparada para o tão aguardado encontro familiar tanto David como Ana permaneceram parados na porta da sala de estar a olhar para eles.

 

David – Mãe ? A senhora veio me visitar?

 

D. Regina – Ué filho não tá contente por nos ver ? Decidimos fazer uma surpresa prá vir te visitar, eu e seu pai tavamos morrendo de saudades suas.

 

David – É claro que tou contente só não esperava ( logo se dirige à mãe e ao pai dando-lhes um pequeno beijo na face)

 

S . Ladislau – Há quanto tempo meu filho que bom te ver cê tá com um brilho diferente nos olhos.

 

David – Ah pai é bom ver você também, não tou com brilho não.

 

D. Regina e S.Ladislau olharam os dois para a porta observando Ana que estava em pânico e com uma camada de nervos visível a um raio de 100 quilómetros.

 

D. Regina – Então filho não nos vai apresentar a sua amiga? Ou vai deixar elea ali na porta?

 

David – Oh sim claro mãe, vem Ana quero te apresentar os meus pais e o Gustavo , vem.

 

Ana dirige-se a David e este lança-lhe um olhar carinhoso e terno.

 

David – Mãe , Pai e Gustavo essa daqui é a Ana uma amiga minha.

 

D. Regina – Prazer em conhecer você Ana ( dá dois beijinhos a Ana ) é bom saber que o David tem novos amigos.

 

Ana – O prazer é todo meu D. Regina o David tem falado muito na senhora e claro no Senhor Ladislau que já agora é um prazer conhecer também ( todos sorriem )

 

D. Regina – Então vocês vieram juntos meu filho?

 

Ana – Não, nós encontramo-nos à porta do prédio e ele convidou-me a entrar.

 

David – È mãe foi isso, agora olha eu vou até à cozinha buscar os pratos e a toalha prá botar a mesa, a senhora fique ai descanse que agora eu me viro, volto já.

 

Ao sentir que estava sem David, Ana decide ir ter com ele pois estava em pânico pôr conhecer os seus pais ela não sabia se a D. Regina aprovaria a relação de ambos pois Ana era ainda menor o que tornava as coisas mais complicadas.

 

Ana – Bem eu também vou ajuda-lo senão se importam até já.

 

Logo Ana se apressa para a cozinha onde David retirava a toalha para pôr a mesa, Ana dirige-se a todas as portas para procurar os pratos e os copos. Ana segurava então um copo mas com os nervos deixa cair o copo dentro do lava loiça o que fez com que David se virasse para ela. As mãos dela tremiam e a respiração era ofegante.

 

Ana – Fogo, que raiva não faço nada de jeito mesmo. ( David coloca a sua grande mão sobre a de Ana e caricia-a )

 

David – Amor, pára um pouco você está muito nervosa isso não tá te fazendo bem não.

 

Ana – Não consigo deixar de estar, os teus pais estão aqui será que vão aprovar a nossa relação é que eu sou menor percebes?

 

David – Os meus pais só querem que eu seja feliz meu anjo, além disso você é adorável é impossível não gostar de você. Não fica assim eu estou aqui meu amor o mais importante é que eu te amo.

 

Beija Ana suavemente ao qual Ana responde quando o beijo acaba uma voz chama a atenção de ambos.

 

D. Regina – Minha querida porque não haveria de aceitar esse namoro? Eu vi nos vossos olhos que vocês tavam amando. Seja bem-vinda à família.

 

Ana – Nem sei o que dizer D. Regina , peço por não me ter apresentado como namorada do David mas é que fiquei tão surpresa de a ver que confesso fiquei um pouco nervosa.

 

D . Regina – Agora meu filho você precisa dizer prá seu pai e pró Gustavo eles vão ficar radiantes.

 

David- A gente vai contar prá eles só tavamos à espera da altura certa . Acho que agora já podemos ir contar.

 

Ana – Por mim , podemos ir.

 

David – Então vamo lá.

 

Os três dirigem-se para a mesa e começam a jantar muito animadamente, David põe-se então de pé e decide oficializar o namoro.

 

David – Mãe , pai , Gustavo, Ruben eu tenho uma coisa prá contar. Eu e a Ana tavamos namorando já faz um tempo.

 

S. Ladislau – Filho parabéns cê tem ai uma bonita moça e parece ser direitinha  ( sorri)

Ana quero que você saiba que pode contar connosco para o que for preciso.

 

Ana – Obrigada S. Ladislau.

 

Gustavo- Mano fico muito feliz em saber disso apesar de já ter notado algo diferente em você ultimamente.

 

David – Nós queremos ter a máxima privacidade possível , quero proteger a Ana da imprensa porque eles são muito chatos.

 

S. Ladislau – Faz muito bem meu filho em proteger a sua namorada, agora Ana me diz quantos anos cê tem?

 

Ana ficou pálida, sentiu as palavras a escaparem-lhe da garganta e sem mais nem quê decidiu ocultar a sua verdadeira idade, coisa que não devia ter feito. Ela sabia que não o devia mas ficou com medo da reacção de os pais de David não aceitarem o facto de ele ser menor.

 

Ana – Eu tenho 18 anos, estou no 12º ano em ciências e tecnologias.

 

David olha para ela incrédulo, ele nem estava a acreditar no que ela acabara de dizer. Pelo que o ambiente ficou pesado , Ana não aguentou e dirigiu-se à casa de banho, David segue-a e logo bate a porta ficando com ela lá dentro.

 

David – Quê tá passando nessa cabeça. Agora cê mente é isso?

 

Ana – David não é isso é que eu tou em pânico e se os teus pais fossem contra por causa de eu ser menor?

 

David – Isso não era motivo prá você ter dito aquilo não, agora o que é que eu vou dizer que você mentiu?

 

Ana – Não dizes nada por favor

 

David – Ainda tá me pedindo para esconder isso deles. Nem pensar não vou fazer isso não, eu vou contar não quero viver numa mentira , se queremos ficar juntos vamos ter de passar por isso Ana.

 

Ana – Tu não me entendes David , eles não vão aceitar eu sou menor vê se percebes de uma vez por todas .( Ana eleva o tom de voz )

 

David – Não você é que não entende eles são meus pais e eu não escondo nada deles e não vai ser agora não. Cê tá agindo como uma criança não tá pensando bem eles vão entender. ( eleva também o tom de voz )

 

Ana – Eu criança? Tu tás a gozar certo já me atiraste uma vez isso à isso cara e agora outra vez, eu estou preocupada com a nossa relação e tu ainda me chamas criança. Se sou assim tão criança porque é que ainda tas aqui a perder o teu tempo, porque é que continuas comigo se achas que sou criança prá ti.

 

David – Não vem com isso agora não. Cê tá me ofendendo agora, cê sabe que eu te amo por demais mas acho que você tá sendo criança em relação a essa situação ( os dois estavam agora com a voz demasiada alta pelo que na sala se começava a ouvir )

 

Ana – Agora passaste os limites David a sério eu que pensei que me ias entender mas não quem ama entende sabes? Chamas-me criança a sério não estou para isto  . Acabou

 

David – Espera ai Ana , acabou o quê ?

 

Ana – Tudo, tu magoaste-me não entendes com essa atitude. Adeus David  ( sai da casa de banho em lágrimas, David corre atrás dela )

 

David – Ana , Vem cá volta aqui a gente não terminou.

 

Ana encontrava-se ao pé da porta pelo que David estava furioso com ela por aquela situação ele também estava magoado. Ana põe a mão no manipulo da porta e David diz:

 

David – Se é assim que você quer, assim será mas fica sabendo que não esperava isto de você.

 

Ana abre a porta e sai de casa de David desfeita em lágrimas com o coração partido em bocados. David fica a olhar para a porta e derrama uma lágrima profunda com aroma e sabor a dor.

Mas poderia ainda assim o amor sair vencedor.

 

 

elaborado por acordoamor às 23:01 | link do post | comentar