Surpresa inesperada ( 22º capítulo ) Parte I

Era chegada à de Ana e David voltarem a Lisboa , infelizmente o mundo não parava e eles tinham de voltar à sua vida normal por isso aproveitaram o último dia nas Caraíbas para ir à praia e bronzear um pouco é claro que às vezes sem querer as pessoas bronzeiam-se demais.

 

Quarto de Hotel

10h00 da manhã

 

Ana – Amor já estás pronto?

 

David – Tou indo ( diz David saindo da casa de banho já com os calções de banho vestidos e uma t-shirt vestida ) E você já tá pronta?

 

Ana – Eu já estou há muito tempo pronta , então que tal estou? ( Ana dá uma pequena volta exibindo o seu curto vestido de praia azul claro )

 

David – Lindona como sempre minha gata, vem cá quero te beijar.

 

Ana – Não sei se deixo não ( imita Ana o sotaque de David )

 

David – Vem cá meu amor, quero só um beijinho para adoçar o meu dia.

 

Ana – Tá bom  David Luiz , eu te dou . ( sorri para ele e põe-se em bicos de pés para poder alcançá-lo pelo que ele também se baixa para a poder alcançar )

Beijam-se rapidamente muito suavemente e logo se dirigem para a praia, ficam deitados na toalha a apanharem os primeiros raios da manhã.

 

David – Menina bonita cê quer vir jogar à bola comigo um pouquinho?

 

Ana – Tas maluco só pode , eu tenho dois pés esquerdos e tu ainda queres que eu vá jogar à bola contigo.

 

David – Vá lá amor é só jogar de brincadeira não vai se um jogo sério não.

 

Ana – Aí tá bem nunca consigo dizer que não, vamos lá mas já aviso que não jogo de jeito .

 

David – Tá bom eu te ensino ( Sorriem e começam a jogar )

 

Ana realmente era péssima a jogar futebol, ela não nascera para o futebol isso era um facto visível tanto que numa das vezes em que chutou a bola para David acabou por conseguir acertar-lhe mesmo em cheio na testa o que provocou uma certa dor ao seu anjo querubim.

 

David – Au a minha testa, que bolada minha nossa ( dizia David com uma mão encostada à testa e era visível que ele andava agora aos zig zags devido à potência da bola)

 

Ana – Oh amor , desculpa ( dizia Ana enquanto colocava a sua mão agora na testa de David ) Olha é melhor ires pôr um pouco de gelo nisso senão vai ficar bastante vermelho, anda vamos ao nosso quarto pôr gelo nisso.

 

Enquanto caminhávamos Ana lamentava-se pelo o que tinha feito, o que fazia David rir um pouquinho. Bem mas parecia que a sorte não estava com David naquele dia logo que chegou ao quarto encostou-se à ombreira da porta da casa de banho enquanto Ana procurava no frigorífico o gelo de repente ouve-se o grande barulho quando Ana se vira vê David com a mão na testa mas agora a deitar sangue ao que parece a ombreira da porta descolou e caiu mesmo em cima de David. Ana apressou-se a ir buscar os curativos e lá seu ajudar o se menino.

 

Ana – Parece que hoje estamos num dia de azar, não é ? ( falava ao mesmo tempo que cuidava da cabeça de David )

 

David – Parece que sim, bom mesmo é eu não me mexer mais hoje senão ainda acabo morto mesmo.

 

Ana – Oh David por amor de deus nem digas uma coisa dessas tás parvo

 

David – Me desculpa amor foi sem pensar.

 

Ana – Acho bem David Luiz Moreira Marinho .

 

David fixa o seu olhar em Ana, esta está a colocar uma pequena compressa na testa de David. Ele não resiste em olhar cada movimento que Ana faz e se alguma dia Ana pensou que David não a amava ela estava enganada pois o amor que David sentia por ela era um amor sincero e verdadeiro capaz de mover montanhas para ficar com aquela que ele tanto amava.

 

Ana – Porque estás a olhar assim para mim ?

 

David – Tava te contemplando , adoro por demais você. Acho que cada dia que passa penso sempre que a minha vida não teria sentido sem você ao meu lado quem seria eu se não te tivesse encontrado meu amor, agora você me prendeu de vez não quero nem posso ficar um minuto sem você , uma hora tou suficientemente ligado à você.

 

Ana – Eu é que não imagino a minha vida sem ti meu anjo querubim ( beijam lentamente numa dança ritmada e suave )

 

David – O que é que você me chamou?

 

Ana – Meu pequeno anjo querubim, foi isso.

 

David – Ana cê se lembra das suas últimas palavras depois do acidente?

 

Ana – Morri e estou no céu, a última coisa que vejo é a cara mais perfeita do mundo, a cara de um pequeno anjo querubim .

 

David – Cê se lembra, mas como é que é possível você me disse no hospital que não… ( David faz uma breve pausa e então se lembra da cara da Ana quando este lhe perguntou a mesma coisa no hospital e agora estava tudo claro ela havia ficado um pouco envergonhada e havido escondido isso dele)

Cê nem me disse nada não pequenina achei que não se lembrasse de mim naquele dia, acho que foram às palavras mais lindas que eu ouvi.

 

Ana – Só não te disse nada porque fiquei sem graça mas eu lembro-me de tudo com o mínimo detalhe como se fosse hoje meu amor e se para ti aquelas foram as palavrasmais lindas que ouviste posso dizer-te que para mim as palavras que nunca esquecerei são :” Eu te amo” essas foste tu quem me disse ao luar com a estrelas e o universo a confirmar.

 

elaborado por acordoamor às 00:13 | link do post | comentar