Tou louco prá ficar à sós com você ( 20 º capítulo )

A noite tinha caído e no céu brilhavam as estrelas , a lua estava cheia e reluzia à superfície terrestre.

David conduzia velozmente para casa de Andreia onde lá iria fazer a primeira de muitas surpresas a Ana, ele e Andreia haviam combinado que ela ajudaria Ana a fazer uma pequena mala que serviria para a surpresa que David iria fazer, por isso a casa ou melhor dizendo o quarto de Andreia estava um caos com roupas espalhadas por todo o lado.

 

Andreia – Leva este, é lindo só não é muito sexy mas acho que é simples e giro.

 

Ana – Andreia, porque é que estás a pôr as minhas roupas na minha mala até parece que vou viajar.

 

Andreia – Amiga, imagina que passas lá a noite, tipo ficas lá a dormir mais vale prevenir.

 

Ana – Pois , tens razão é melhor levar algumas roupas. Achas que estou bem?

 

Ana dá uma volta, está com um vestido azul turquesa de alças e com uns saltos altos pretos. O seu cabelo estava preso por um rabo de cabelo possuía um toque de rímel nos olhos e um sombra azul clarinha e um batom muito rosa claro.

 

Andreia – Estás super linda ele até vai cair para o lado quando te vir assim miúda.

 

Ana – Oh que exagero.

 

De repente a campainha toca era David logo Ana se encaminha para a porta com o seu casaco na mão e a mala na outra.

Despede-se de Andreia e parte para a sua nova aventura.

David olha para o portão e vê Ana sair e fica completamente paralisado ao ver o quão linda ela estava. Ana sorri-lhe e dirige-se a ele olhando-o bem nos olhos.

 

David – Onde você estava menina eu procurei você tanto tempo e você por fim chegou à minha vida. Ana você tá tão linda nunca tinha visto você assim tão-me faltando às palavras. Você nem parece real.

 

 

Ana – Mas sou, amor. Vem cá que eu mostro-te. ( Ana dirige-se a David e logo alcança os seus lábios devido aos saltos altos, ambos se beijam apaixonadamente, as suas línguas movimentavam-se ao ritmo dos seus corações numa dança de amor e desejo ardente).

 

David – Vamos? Já tá ficando tarde.

 

Ana – Está bem, ainda temos de fazer o jantar e não convêm eu chegar tarde a casa.

Assim entram no carro onde agora David conduzia .

 

David – Cê tá cansada’

 

Ana – Estou, tenho tido muito trabalho no estádio e na escola.

 

David – Você devia descansar um pouco amor, senão fica doente.

 

Ana – Oh não sejas assim, não te preocupes comigo eu cuido-me bem

Olha como está a tua família?

 

David – Ah tá todo mundo bem, mas sabe que bate uma saudade. Gostava de ir visitar eles, da próxima vez que for te levo comigo prá te apresentar à família.

 

Ana – Aí já estou nervosa. David, enganaste-te estás a ir na direcção errada, estás a ir na direcção do Aeroporto não para tua casa.

 

David – E quem disse que vamos para minha casa. Será que vamos? ( e faz um ar de mistério )

 

Ana – Não vamos ? Mas estás no Aeroporto, queres-me explicar o que estamos aqui a fazer?

 

David – Ué, já vai ver, vem me dá sua bagagem que eu te ajudo.

 

David estaciona o carro e ajuda Ana a carregar a bagagem, dirigem-se então até aos balcões de check-in e tudo fica pronto para a nova aventura deles.

 

Ana – Não acredito que fizeste isto? Vamos os dois sozinhos para as Caraíbas?

 

David – Sim, amor esta é a minha surpresa preparei tudo ao mínimo pormenor. Decidi dar uma relaxada do futebol e ajudar você à relaxar um pouco também. Ficou contente?

 

Ana – Muito mesmo, mas amanhã não tens treino?

 

David – Não vou ter não, como a equipe venceu o Braga o mister deu folga à equipe e claro que eu me lembrei de raptar você e ter você só para mim.

 

Ana – Hum, soa-me muito bem.

 

David – Vamos pôr a bagagem nos tapetes? Vem amor.

 

David e Ana dirigem-se de mãos dadas até aos tapetes das bagagens onde lá puseram tudo em ordem, em poucos minutos estavam dentro do avião a dirigirem-se para as Caraíbas onde lá o amor ia ser o ponto essencial na história.

O voo durava 12 horas por isso iriam passar a noite no avião.

 

David – Cê tá bem instalada?

 

Ana – Estou, não te preocupes ( sorri para David mas logo fica pensativa )

 

David – Ana , Cê tá cá? Tá pensando em quê?

 

Ana – Ah, esquece é uma coisa parva não tem sentido nenhum.

 

David – Ah , amor me diz senão fico preocupado ( olha para Ana com um ar sério )

 

Ana – Está bem, mas não gozes comigo por favor.

Eu estava a pensar que nós aqui neste avião parecemos uns recém-casados, eu estou vestida a rigor e tu estás de camisinha e jeans. E disse que era parvo

 

David – Isso é uma coisa parva? Ué eu acho a ideia maravilhosa, adorava ver você vestida de noiva entrando pela igreja e depois à noite seríamos um só. Íamos ver a nossa família crescer...

 

Ana – David , eu acho que podemos esperar mais uns aninhos tenho só 16 anos ainda temos muito tempo para constituir uma família bem numerosa com no mínimo 4 filhos, seria perfeito.

 

David – Adoro você, você é a minha alma gémea  igualzinha à mim. Claro que vamos esperar um pouco mais não há que ter pressa. Me diz como vai a escola?

 

Ana – Está bem, tipo a matemática e a físico-quimica é que são as piores e as mais complicadas e que requerem mais tempo de estudo, são as que eu mais odeio.

 

David – Quando quiser eu te ajudo eu era bom à matemática e à química, se bem que a química ainda continuo a ser bom né Ana?

 

Ana – Não sei do que estás a falar menino David Luiz ( faz um ar divertido )

Tu és perfeito para mim em todos os sentidos sabes disso, não te quero perder.

 

David – Não vai perder eu vou estar sempre com você minha pequenina ( e beija Ana suavemente no rosto )

Agora você devia descansar meu amor quero que esteja acordada quando chegarmos.

Dorme minha princesa que eu estou aqui ao pé de você.

 

Ana encosta-se no banco do avião e adormece ao lado do seu pequeno querubim pois só por ele batia o seu coração.

No dia seguinte Ana acordou bem cedo e teve tempo de observar David a dormir. David dormia profundamente, parecia uma pequena criança de tão calmo que dormia por vezes fazia um pequeno sorriso como que sonhasse com alguma coisa que o fizesse feliz. Ana ao observá-lo sorria , por fim decidiu dirigir-se à casa de banho onde pelo menos iria tentar-se vestir.

Ana acabou por vestir um vestido de praia já que ia para as Caraíbas, o vestido era verde esmeralda de alças que lhe dava pelo os joelhos, trazia calçadas umas havianas brancas.

Dirigiu-se então o seu lugar onde pensava que David estava a dormir quando de repente é surpreendida por alguém a tentar agarrá-la , era David que rapidamente a sentou a seu colo.

 

David – Bom dia , então decidiu me deixar?

 

Ana – Bom dia, claro que não fui só trocar de roupa estava muito formal para ir para as Caraíbas, Agora já me sinto melhor.

 

David – Continua linda como sempre. Sabe o que eu estava pensando ?

 

Ana – Não, ainda não tenho o poder de ler mentes, mas podes dizer.

 

David – Tava pensando que tou louco para ficar a sós com você ( logo que diz isto David pressiona os seus lábios contra os de Ana, o beijo de David era um beijo de desejo, necessidade. Suavemente David percorre com a sua mão o braço de Ana descendo até á parte superior da perna dela, o que provocou um certo nervosismo a Ana e arrepios. Ana estreme mas logo decide acabar com o beijo antes que alguma coisa mais acontecesse, algo que Ana temia muito.

 

Ana – Acho melhor ficarmos por aqui, não me parece apropriado fazermos algum tipo de coisas aqui. ( diz Ana com um ar sério para tentar esconder o medo que sentia )

 

David – Ué, cê achava que eu ia fazer alguma coisa com você aqui dentro desse avião?

 

Ana – David , não é isso é que....

 

David – Amor, eu não ia fazer nada só estava acariciando você, eu sei que este não é o locar indicado para termos as nossas intimidades.

 

Ana – Eu sei amor, desculpa ( e faz um pequeno beicinho )

 

David – Ana , está tudo bem não tou zangado não.

Agora cê vai ter de se sentar porque vamos aterrar nas Caraíbas.

 

Ana – Está bem, vamos lá,

 

Poucos minutos de depois o avião aterrou nas Caraíbas, e David e Ana foram de táxi até ao hotel, como previsto passaram o dia inteiro a passear de um lado para o outro pelo que jantaram fora e só depois se dirigiram para o hotel onde iriam ficar juntos no mesmo quarto e partilhar a mesma cama.

 

Ana – Aí, estou morta de tanto passear ( e atira-se para cima da cama ) , Acho que vou vestir o pijama assim se adormecer já estou pronta.

 

David – É , amor também vou fazer isso. Você fica aqui no quarto se trocando que eu fico no banheiro. Até já.

 

Ambos se vestem, Ana vestiu um pijama com uma camisola de mangas curtas branca e uns calções bem curtos com flores amarelas e azuis, David vestiu umas calças azuis claras e uma camisola branca sem mangas para dormir.

 

David saiu então da casa de banho e dirigiu-se até Ana beijando-a no rosto, esta estava em pé a abrir a cama.

 

Ana – Já estou pronta para dormir, vamos?

 

David – Quero o meu beijo primeiro.

 

Ana – Oh claro já me esquecia.

 

David agarra Ana pela cintura e beija-a com desejo, as danças das suas línguas começou e por fim David começa a beijar o pescoço de Ana e passa novamente para os seus lábios, a sua mão que se encontrava sobreposta nas costas de Ana começou lentamente a levantar a camisola do pijama que esta possuía.

Até que .......

elaborado por acordoamor às 18:11 | link do post | comentar