Acabou, vou-me embora ( 11º capítulo )

Ana e David entreolham-se mais uma vez e logo de seguida entra um médico no quarto de Ana com novas notícias.

 

Médico – Bom dia, como se sente hoje?

 

Ana – Sinto-me bem senhor doutor, quando vou sair daqui?

 

Médico – Vai sair já esta tarde Ana, estou a dar-lhe alta, tem a minha permissão para sair.

 

Ana – Ah que bom, preciso mesmo de ir embora não gosto nada disto.

 

Médico – Ana lembre-se que se sentir alguma dor ou algo do género deverá vir imediatamente falar comigo.

 

Ana – Sim, não se preocupe doutor eu tenho cuidado.

 

Médico – Bem agora vou indo, tenham um resto de um bom dia.

 

O médico sai do quarto e deixa Ana e David sozinhos novamente. Seria assim a despedida de ambos?

 

David – Bem, parece que agora você já vai embora

 

Ana -  É parece que sim ( e faz uma cara triste)

 

Ana arruma as suas coisas com a ajuda de David, por fim saem do quarto e pouco depois os primos de Ana aparecem, Ana deixa então para trás David que a observa com um olhar triste, pois este sabia o que os primos haviam dito naquela discussão.

Ana estava pronta a entrar no carro dos primos quando......

 

Ana – Afonso, tenho de ir lá dentro ao quarto buscar uma coisa que me esqueci.

 

Afonso – Queres ajuda?

 

Ana – Não, não é preciso eu vou sozinha.

Ana entra pela porta do hospital e dirige-se a David, beijando assim a sua face e dizendo:

 

Ana – A gente se vê por ai?

 

Aquela era a pergunta que David sempre perguntava a Ana todas as vezes que se encontravam pelo que deixou David feliz pois isto não seria a despedida.

 

David – Quem sabe! ( David sorri e Ana vai embora )

 

O caminho para casa foi duro, ninguém disse uma única palavra o silêncio imperava dentro do carro.

Ao chegarem a casa Ana dirige-se ao seu quarto e assim arruma as suas coisas de seguida foi-se sentar no sofá na sala.

Afonso que não estava  a gostar da atitude de Ana decidiu falar.

 

Afonso- Ouve lá, mas agora não vais falar mais? Vais agir como uma criança?

 

Guilherme – Afonso, não comeces já, tem calma meu.

 

Ana – Não estou a agir como uma criança Afonso, só não vou submeter-me às tuas regras, não vou deixar de trabalhar no Estádio e ponto final e nem tentes demover-me.

 

Afonso – Ah minha menina mas vais deixar de trabalhar no Estádio sim senhor, tu tens tudo o que precisas aqui e enquanto viveres debaixo do meu tecto cumpres as minhas regras.

 

Ana – Ah o problema é que tenho de cumprir as tuas regras porque estou de debaixo do teu tecto.

Ok vou então simplificar as coisas se o problema é esse.

 

Ana levanta-se, vai ao seu quarto pega numa mal e enfia para lá toda a sua roupa e produtos de higiene e volta para a sala de malas feitas. Guilherme olha para ela e fica à espera que ela decida não fazer aquilo.

 

Afonso- Ah, se pensas que vais sair por aquela porta enganas-te. Não vais eu não permito.

 

Ana – Sai da frente ou vai ser pior.

Ana abre a porta e as últimas palavras que diz são:

 

Ana – Acabou, vou-me embora desta casa. Desculpa Guilherme, espero que um dia me perdoes.

 

 

 

elaborado por acordoamor às 15:06 | link do post | comentar